sábado, 31 de março de 2018

Literatura (é) a Cura.

Ontem (30 de março de 2018) acabei de ler o sexto livro do ano, média baixa de 2 por mês.
Foi o livro: O Sol na Cabeça de Geovani Martins (Companhia das Letras - 120 páginas), li em dois dias, e terminei literalmente com O SOL NA CABEÇA, na Praia de Camburizinho em São Sebastião-SP.
Livro chapado com 13 contos periféricos, ou melhor, SUBURBANOS (Rio de Janeiro), Geovani Martins traz a literatura marginal com sotaque carioca.
Morador da Rocinha (ou) Vidigal, conheci o autor na FLUPP (Novembro 2017), mas nossa amizade parece que vem de mais tempo, tamanha a sintonia.
Agradeço a Companhia das Letras pelo envio do livro.
Vale a pena conferir, tudo bem que você não vai ter o conto de abertura do livro, lido pra você pelo autor em plena Rocinha. Mas é bom ainda assim.
BREVE, lançamento no Sarau Suburbano em São Paulo.
Alessandro Buzo



Acabei de ler o livro O SOL NA CABEÇA, literalmente com o sol na cabeça.

***

LIVROS QUE O ESCRITOR "ALESSANDRO BUZO" LEU EM 2018.

(01) - CIDADE DE DEUS - 50 ANOS. Coletânea FLUP HQ - Vol 2. (224 páginas)
(02) - O que é lugar de fala ? de Djamila Ribeiro (112 páginas)
(03) - SUKATA DE LETRAS de Erton Moraes (Editora Noz de Oz - 100 páginas).
(04) - VIVA VACA de Marcelo da Silva Antunes (36 páginas)
(05) - Crânio, Coração e Poesia de Carlos Augusto (120 páginas).
(06) - O Sol na Cabeça de Geovani Martins (120 páginas)

***

Agora vou ler: Com Licença, eu vou à luta, de Eliane Maciel (Círculo do livro - 262 páginas).

Nenhum comentário:

Postar um comentário