terça-feira, 18 de janeiro de 2011

ESSE TAL DE HIP-HOP

Por: Manogerman.
oescritor1@hotmail.com


Eu vivo a andar e falar.
Quem me olha, comenta.
Que estou falando sozinho.
Mas só estou querendo mostrar o caminho.
Dizem que sou tão sabido, mas não atendo aos assobios.
Vou falando e rimando e todos ficam me olhando.
Ando nas ruas e vou dizendo para quem quiser ouvir.
Falo das guerras entre as nações.
Um planeta em decomposição.
Bombas e seus canhões
As injustiças entre os irmãos.
O pobre que caiu na prisão.
A mina grávida que não teve o perdão.
E ninguém tem compreensão.
O que eu falo não é nenhum mistério
As pessoas que não me leva a sério.
Dou uma volta e sento na praça
E vou falando minhas palavras.
Querendo atravessar o universo com meus versos.
Eles não percebem que não posso ficar mudo,
pois preciso construir um novo futuro.
Eles não falam comigo dizem que é loucura pura.
Que incentivo todos para aventura
Mas não sabem que a poesia é a cura.
E com o hip-hop tudo muda.

Germano Gonçalves - O urbanista concreto
(escritor)

Um comentário:

  1. A poesia prevalece nos becos,ruas e na cabeça de quem pensa!
    A Cara da Poesia

    ResponderExcluir