quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Sarau Suburbano, toda "terça-feira".... no Bixiga.

Desde 2010



O "Sarau Suburbano" acontece toda terça-feira, das 19h30 às 22h na LIVRARIA SUBURBANO CONVICTO do Bixiga, Rua 13 de Maio, 70 - 2o andar.
A Livraria é de propriedade do escritor Alessandro Buzo e a única do país especializada em Literatura Marginal.
O Sarau Suburbano é apresentado por Alessandro Buzo e Tubarão Dulixo.
A entrada é gratís.
Média de 30 participações (poetas e mcs) por edição. Picos de 55.
Sarau Suburbano, só tem Camisa 10.


domingo, 22 de setembro de 2013

COMPLEXA PERIFERIA


Por: Alessandro Buzo

Não sou sociólogo, nem nada que acabe em ....ólogo. Mas analizo as coisas que acontecem hoje em dia na periferia.
Não fiz tese de faculdade, nem pesquisa.
Sou nascido e criado nela, dita periferia, amada e temída.
Sou filho do Itaim Paulista no extremo da zona leste de São Paulo e acostumado a percorrer desde muito cedo os 38km que nos separam do centro.
Meu primeiro emprego de office boy em 1985 aos 13 anos de idade na Praça da Sê. Depois tantos outros "empregos", diria "SUB-Emprego" que só dava pra sobreviver "nunca" viver.
Essa semana completo 41 anos, mais de 20 deles pegando trem lotado na antiga linha variant que saía da Estação Roosevelt (hoje Estação do Brás) pra Calmon Viana (já no município de Poá-SP), passando pelo Itaim Paulista.
20 ano de trem lotado, aprendi o significado da palavra: DESCASO.
O povo é tratado com DESCASO pelo governo, todo santo dia, dia após dia, ano após ano.
Pelo menos metade dos 20 anos de trem foi no famoso "ultimo vagão", onde além de uns baseado, rolava muita alegria e união, todo mundo trabalhador, mas a fumaça subia e quantas vezes a PM não aguardava na proxima estação.
Pois bem, como descrever as quebradas no ano de 2013, em pleno século XXI se eu nem sabia que sobreviveria pra contar essa história. Fugi de várias estatísticas.
Hoje por conta do meu trabalho cultural e na TV, circulo "MUITO" pela periferia, os 4 extremos da cidade e vejo todas muito parecidas apesar de cada zona ter seu jeito peculiar. Mas são parecidas em algumas questões.
Vejamos então quais são eles, na minha humilde opinião e sem querer ser o dono da verdade.

CLASSE C >>> B
A Classe chamada C virou a classe média baixa, as casinhas da periferia com muito suor e cimento, virou tudo sobrado.
A geladeira em muitas casas é duplex, freezer...
A TV é de Plasma, Led e outras modernises, fina e grande.
O vídeo cassete virou DVD, o barro virou asfalto.
Hoje periférico anda de cartão de crédito no bolso e como periférico preza o nome, paga em dia.
Parte dessa "estabilidade" vem do Plano Real do FHC e muito dos 8 anos de governo Lula que longe de ter sido o que eu sonhava, fez uma forçada e na época importante distribuição de renda pra quem estava em situação mais precária.
Muito comércio local de bairro cresceu.
Quem não comia nada passou a comer ovo, quem comia ovo passou a comer bife e quem já comia bife passou a fazer churrasco.
Periferia passou a ser mais presente nas faculdades públicas e particulares.
Inegável que a periferia se fortaleceu nos ultimos 10, 15 anos.

Violência
A violência que trata a mídia, essa continua igual.
O sistema obriga você a ter carro, moto, tênis de marca e não te dá um emprego com salário pra tudo isso, logo muitos jovens vê no crime uma ilusão de progresso, enquanto seu pai trabalha feito um maluco e só anda duro, devendo e individado, o cara do MÓIO tem tudo que ele sonha e várias mina querendo te dar.
Claro que muito acreditam no caminho mais longo, escola, estudo, estudo, trabalho, trabalho, trabalho.... carro.
Outros comprar carro em um mês. Roubando ou dando pó pros nariz interessados. Vendendo pedra de crack sabendo que só piora a quebrada, piora pra quem, ele anda de moto, pega as mina, é o patrão.
Esse CIRCULO VICIOSO continua igual e funcionando a todo vapor.
Mais cadeia e menos escola.
O dinheiro que era pra saúde, transporte, hospital.... foi tudo sendo roubado pelo caminho e na quebrada só chega MIGALHAS.
Mas o que tem me incomodado mesmo é a VIOLÊNCIA que antigamente não existia e eu vejo que está igual na zona leste, sul, norte, oeste. Em outras cidades e estados do país.
A "DROGA" trouxe sequelas..... E quem traz a droga pra cá ?
Antes bandido era bandido, trabalhador era trabalhador, cada um na sua, os 2 junto só no time de várzea no domingo de manhã.
Hoje a sequela das drogas, principalmente o alcool, cocaína e crack é que tem um exército de NÓIA e roubando na quebrada, não respeitando nada nem ninguém.
Muitos roubam a própria casa.
É um problema social e como sempre o governo não sabe o que fazer, não investe porque diz que não tem pra investir, o que deveria ser investido vai ficando pelo caminho e no SUS não chega nada.
Junta a isso o desemprego, as música ostentação que andam cantando nessas quebradas e pronto. Era tudo que o sistema e o demônio queria.
Essa violência VELADA mais PRESENTE, tem deixado as quebrada MONSTRÃO e se na sua rua tiver PANCADÃO, só Deus salva.
Mas no meio disso tudo tem o povo, lutador, batalhador e que não deixa desandar de vez o caldo.

CULTURA
O que melhorou, mesmo sem grandes investimentos públicos (salvo raras exceções como o VAI da PMSP e outros), foi a CULTURA da quebrada.
Hoje tem mais variedade, tem Hip Hop, Literatura, Teatro e muito mais.
Muita gente da periferia tem se destacado e ganhado os palcos e feiras do livro pela país inteiro e até em outros países.
Nasceu a LITERATURA MARGINAL e hoje, mais de uma década depois ela está forte e muitos investem em livros em vez de litros, na caneta em vez da escopeta.
Poderia ser muito mais, se o investimento chegasse, quantos não se salvariam.
Mas se não chega pra escola, hospital, acha que iria chegar pra cultura.
Maioria dos projetos bacanas são mantidos pelo voluntários, pelos militantes, pelos que lutam por uma quebrada melhor.
Vários saraus trazem poesia pro nosso dia a dia.
Poderia ser muito mais......
Mas é importante dizer que pra combater a violência nas quebradas, um dos caminhos é a CULTURA e está de parabéns que luta por essa causa.

Eu não estudo isso, eu vivo isso.
Sou parte disso.
Não curto a favela, sou a favela em pessoa.
Sou favela antes de chamarem de comunidade.
Sou apenas um militante que por "sorte" ou insistência, hoje é conhecido nas ruas, aparece toda hora na TV. Mas antes de ser "o cara da TV" sou escritor e militante e assim quero seguir.
Eu sou o Alessandro Buzo, esposo da Marilda, pai do Evandro, palmeirense na alegria e na fase ruim, filho do Itaim Paulista otimista e sonhador, que ainda acredita num mundo mais justo com menos corrupção e desigualdade social.
Enquanto isso.... lutamos.
FAÇO PARTE DO QUILOMBO COMANDADO POR ZUMBI.

Alessandro Buzo
www.buzo10.blogspot.com

TWITTER: @Alessandrobuzo

CONTATO: suburbanoconvicto@hotmail.com

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Literatura (é) a Cura.

Li 2 livros seguidos, acabei "Cobras e Lagartos" de Josmar Jozino (Objetiva - 278 paginas) que estava na reta final.
Livro sobre o crime organizado (PCC), Josmar Jozino é reporter policial do Jornal Diário de S.Paulo.
O livro trata das mulheres dos homens fortes do PCC, como elas são fundamentais pra que as coisas andem.
Em certo ponto se torna repetitivo, mas vale a pena conferir.



Depois li "762 dias de Angústia" do Hostil (Scortecci Editora - 68 paginas)
Um livro original. Já li muito relato de pessoas que foram (ou) estiveram presos no sistema carcerário.
Já li muito livro sobre o crime organizado.
Mas pela primeira vez li um livro de um (pai) que teve o filho preso por assalto em São Paulo.
Hostil é pai de Roger que passou 762 dias preso. Nesse livro ele narra o sofrimento, angústias e humilhações que a família passa quando um filho é preso.
É um relato simples, mas inédito.
#INDICO



Alessandro Buzo

Acabo de ler 2 livros, de 2 amigos.... mostra que tenho muito amigo escritor.
O primeiro foi "Sensacionalíssimo" do Caco Pontes (Poesia Maloqueirista - 70 paginas).... Frases CURTAS, muito da hora.
Depois "Fragmentos Dispersos" de Mel Duarte (32 paginas), poesia com a cara da Mel.

#INDICO AMBOS

Livros que Alessandro Buzo leu em 2013.

(01) - A CALIMBA E A FLAUTA de Allan da Rosa e Priscila Preta. (Edições Toró - 48 paginas)
(02) - Acorde um Verso do Michel Yakini. (Elo da Corrente Edições - 80 paginas)
(03) - FARTESIA da Luiza Borba C. (Anadarco Editora)
(04) - "Como a água do rio" do escritor Sacolinha. (Aeroplano Editora - 216 paginas)
(05) - Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2, org.Alessandro Buzo - 58 autores (Edições Suburbano Convicto - 112 paginas)
(06) - Bentevi, Itaim. De Akira Yamasaki. (156 paginas)
(07) - "Sensacionalíssimo" do Caco Pontes (Poesia Maloqueirista - 70 paginas)
(08) - Fragmentos Dispersos de Mel Duarte (32 paginas)
(09) - Cobras e Lagartos de Josmar Jozino (Objetiva - 278 paginas)
(10) - 762 dias de Angústia do Hostil (Scortecci Editora - 68 paginas)

Estou lendo.....
Lendo "SABOTAGE - UM BOM LUGAR - Biografia Oficial de Mauro Mateus dos Santos, um livro de TONI C. (Literarua - 344 paginas).

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Literatura (é) a Cura

É impressíonante como tenho lido poucos livros.... já foi 6 por mês, hoje foram 8 no ano e já está acabando agosto, péssima média (pra mim) de 1 livro por mês.
Levando em conta que tem gente que lê 1, 2 livros por ano, mas ainda assim, oito livros em 2013 é a pior média dos ultimos anos.
O motivos são MUITO TRABALHO e ainda eu ter CARRO, lia muito nas conduções, fazem só 2 anos que tenho CARRO, mas atrapalhou visivelmente meu hábito de ler e fez a média de livros dispencar.
Mas de setembro a dezembro pretendo ler bem mais que 8 livros.
Começar por "Cobras e Lagartos" de Josmar Jozino (Objetiva - 278 paginas), que já está no fim.
Depois uma pilha de livros aqui, não sei por onde começar.
Alessandro Buzo

Acabo de ler 2 livros, de 2 amigos.... mostra que tenho muito amigo escritor.
O primeiro foi "Sensacionalíssimo" do Caco Pontes (Poesia Maloqueirista - 70 paginas).... Frases CURTAS, muito da hora.
Depois "Fragmentos Dispersos" de Mel Duarte (32 paginas), poesia com a cara da Mel.

sábado, 24 de agosto de 2013

VIVEMOS EM TEMPOS DE GUERRA. Mas precisamos acreditar na PAZ

Por: Alessandro Buzo

Incrível como hoje as coisas estão mudadas.... tipo fim dos tempos mesmo.
Sempre morei na periferia (Itaim Paulista) e na quebrada, na favela a gente sempre teve PAZ.
A vida era dura lá fora, mas quando a gente estava na quebrada era só lazer, amigos, paz.
Hoje em dia ta osso.
No meu tempo tinha o BANDIDO e o TRABALHADOR. Um respeitava o outro e não se metia na sua vida.
Por outro lado os BANDIDO não roubava e nem deixava roubar na sua área.
Hoje em dia desandou o caldo..... ninguém respeita ninguém.
Nem os BANDIDO essa molecada nova respeita, imagina o povo.
Seria fácil por a culpa no FUNK que canta ostentação e o moleque da favela que curte só vai poder ter aquilo roubando.
Mas o problema é mais embaixo.
O funk é só um item, que concordo piorou as coisas.
Só que esse jovem que faz o que quer deve ter um "pai".... uma "mãe" ou alguém.
Porque anda fazendo da vida o que bem entende ser certo.
É o sistema que escraviza o povo. O cara ganha mal, trabalha muito e longe, pega condução mega lotada e não sobra tempo, nem disposição, nem dinheiro, pra dar atenção devida a família.
VC precisa ter o tênis da marca, VC precisa ter celular de ultima geração, PLAY 3, Tablet, VC quer beber ABSOLUT que mostra no clipe, VC quer ter carro, moto, pegar as mina.
Como se seu pai trabalha a vida toda e não tem nada disso.
Só mesmo roubando ou traficando.
Isso quando a família se encontra junto.
Quando a pessoa na figura do pai, não aguenta o tranco e larga a família, pior ainda. Quando cai na bebida idem, nas drogas fudeu de vez.
Quantas famílias os governantes não destruiram por conta da CORRUPÇÃO, do DESCASO.
Esse sistema falido de vereador, prefeito, deputado estadual, federal, governador, senador, presidente. É muita gente desviando o que iria pra escola, crechê, hospital, transporte público.
Muitas empresas pagam pouco porque são sufocadas pelos impostos e esse imposto nem volta pra gente porque alguém rouba antes.
Hoje na quebrada, não falo só pelo Itaim Paulista não (mas lá também), tem gente roubando até na favela, coisa que era proibido antigamente quando se existia a VERDADEIRA MALANDRAGEM.
Vagabundo escondia o baseado quando a tiazinha passava pra ir pra igreja e ainda dizia: - Boa noite.
Tem muita coisa errada e não se vê nenhuma perspectiva de melhora.
Tem otário se achando malandro, tem NÓIA que se deixou levar pela COCAÍNA, pelo CRACK e rouba até dentro de casa.
Só na MINHA FAMÍLIA tem uma meia duzia de sobrinhos e primos sendo consumidos pela droga.
Enquanto isso tem gente que acha o fim do mundo falar de DESCRIMINALIZAÇÃO da maconha.
O moleque cresce apanhando da vida desde que nasceu, depois rouba e é espancado na Fundação Casa, que esse caso mostrado recentemente na TV, está longe se ser um caso isolado. E depois ele volta pra sociedade pior.
Só a CULTURA, ESPORTE, LAZER e EDUCAÇÃO podem combater a violência. Investimento pesado mesmo..... de verdade.
Construir escolas em vez de presidio, pagar bem os professores pra ter ânimo de encarar uma sala com mais de 40 alunos.
Pagar bem a PM e punir severamente os que debandam pro crime.
Acabar com boa parte das REGALIAS dos políticos porque só em São Paulo são 55 vereadores com um monte de gente atoa nos gabinetes, com carro, gasolina e tudo mais pago com nosso dinheiro.
Sem falar na corrupção.
É muita coisa, ai VC ganha R$ 1.000,00 de salário. Trabalha 22 dos 30 dias do mês, pega condução lotada e no fim do mês com descontos e mais descontos vem R$ 700, 800 pratas pro seu bolso.
Tô de saco cheio de ver tanta injustiça, deveria fazer meus corres e não ligar pra nada, deixar cair na conta e já era. Mas não consigo.... o problema está ao meu redor, está tão proximo que não da pra não enxergar.
Vi o Oscar Schmith que foi um ídolo meu na infância, falando de redução penal, pena de morte.... fiquei triste, morreu um ídolo pra mim.
Mesma coisa que os CORTA PRA MIM DA VIDA falam todo dia na TV, povão abraça.
VAMOS FAZER NOSSA PARTE, VAMOS COMEÇAR PELO NOSSO BAIRRO, NOSSA CASA.
Fácil por a culpa no Funk, mas acho que nos PANCADÃO tem muito filho de famílias desestruturadas e isso é mais importante de se combater.
Tem muito Rapper também, bom de discurso que não faz uma, só quer saber de avião, hotel, cachê.
Com meus humildes (e queridos) 8 mil seguidores no TWITTER, sempre dou uma twittadas com cunho social. Mas acho que quem tem 20, 50, 100, 500 mil seguidores, 1 milhão..... deveria pelo menos uma vez por dia, dar um TWITT social, ou por no FACE uma parada assim. Mas cada um só se preocupa com o seu e não vê que o problema está cada vez mais, batendo na nossa porta.
É tanta injustiça social e só se fala em redução da maioridade penal.

Alessandro Buzo é escritor, pai presente e indignado.
www.buzo10.blogspot.com

domingo, 18 de agosto de 2013

MOMENTO ÚNICO


2 anos do SP CULTURA no SPTV e centésimo quadro.
Por Alessandro Buzo

Dia 30 de setembro de 2013 o quadro SP CULTURA do SPTV 1a edição completa 2 anos na grade da Globo, mostrando a verdadeira cultura da periferia.
Isso é sem dúvida um marco.
No meu mais otimista dos sonhos, nunca imaginei que conquistaria(mos) um espaço assim.
2 anos pra mostrar pra quem desacreditou...... pra fazer quem torce contra se dedicar mais.
Antes disso outro marco, dia 14/09 a gente exibe o quadro de NUMERO 100.
Eu me orgulho do conteúdo desses 100 primeiros quadros. Foram tantos momentos inesquecíveis.
Foco agora é manter nesse nível.
Nas ruas o povo é muito atencioso, onde eu passo, seja na periferia (ou não), só elogios ao SP CULTURA. Quem é da periferia se sente representado e quem não é gosta de saber que tem tanta coisa bacana rolando.
Outro orgulho é alguns projetos como o TÊNIS NO PARQUE no Parque Santo Dias na Cohab Adventista no Capão Redondo, depois do quadro exibido eles tiveram a quadra reformada, foram conhecer Roger Federer, numero 1 do mundo. Outros projetos também tiveram esse retorno.
A sensação que VC ou seu trabalho ajudou alguém é muito boa.
Quando entrei sabia que ESTAR NA GLOBO não era uma missão fácil. Mas se fosse fácil qualquer um faria.
Imaginei receber críticas principalmente do movimento hip hop mas elas foram quase nula. E eu sabia que "com o tempo" o trabalho falaria por si só e é isso que aconteceu.
A única coisa que a gente demora de acostumar é ser reconhecido "TODO DIA" nas ruas. Mas o que recebo é muito carinho e atenção.
Essa semana funcionários do Pão de Açucar Casa Verde pediram pra tirar foto, no trânsito o carro do lado manda salve, a senhora na padaria, o segurança do banco. Eu atendo todo mundo, com o mesmo carinho.
Vejo um monte de gente que me reconhece mas fica sem jeito de dar uma idéia, outros querem uma foto. Até pelo conteúdo que eu apresento, me orgulho desse reconhecimento.
Pra falar sempre vai ter gente. Nem Jesus agradou a todos e não tenho essa pretenção, minha única pretenção é seguir EM FRENTE.
Pra quem pegou 20 anos de trem lotado na zona leste de SP, estar na TV e ser reconhecido é só pra compensar a vida que sempre foi dura, as vezes dura até demais.
Eu sou sobrevivente, passei por muitas coisas, mas o Hip Hop me resgatou, a minha esposa (15 anos juntos) me deu foco e o meu filho me deu um motivo pra lutar, dar a ele uma vida um pouco melhor do que a minha.
É bastante trabalho, ter um quadro toda semana pra exibir, produzir isso.
Ainda mais que não é "SÓ ISSO" que eu faço.
A Suburbano Convicto Produções e eu (Buzo) está no momento em algumas frentes, manter aberta a única livraria do país especializada em literatura marginal, LIVRARIA SUBURBANO CONVICTO 6 anos, 3 ultimos deles no Bixiga.
Sarau Suburbano semanal na livraria. É mano, semanal é semanal. Toda terça nóis q ta. Isso..... estar acessível toda semana pra quem quiser me ver, trocar uma idéia, fazer uma foto.... faz com que eu siga militante, pra não virar artista.
Tem o Sarau Suburbano é 10! que a partir de 28/08 volta mensal nas Unidades Uninove, nossa literatura e poesia, sem tirar uma virgula, na faculdade.
A Uninove viabiliza também o Jornal BOLETIM DO KAOS.... saiu em julho e agora vem firme e forte mensal..... Outubro, novembro, dezembro/2013.
20 mil exemplares de um jornal com conteúdo cultural e gratuíto, distribuído 80% na periferia. Assim que é.....
Tem o FAVELA TOMA CONTA que chega a 27a edição (desde 2004) no Dia das Crianças (12/10/13) no Itaim Paulista, onde tudo começou, meu bom lugar.
Fazer o FAVELA no DIA DAS CRIANÇAS é um compromisso. Não é por estar na TV que eu deixaria de promover esse evento. SHOW´s, doces e brinquedos na minha quebrada, no dia deles, das crianças. Esse ano teremos Thaíde, Sarau Suburbano e muito mais.
Nas épocas dos tempos difícil, o meu lema de vida era: NADA COMO UM DIA APÓS O OUTRO DIA.
Agora, tendo que fazer tudo isso acima e um pouco mais.... nem falei tudo que estamos envolvidos, o lema é: NÓIS CAPOTA MAIS NUM BREKA.
Não fiquei rico e nem realizei "ainda" o sonho da minha vida de ter uma casa própria, os sonhos ainda são humildes, porque não quero mais do que viver tranquilo, pagar minhas contas em dia, viajar um pouco e estar com minha família.
Como diria o parceiro de luta Tubarão Dulixo.
- O brinde ainda é nas humilde, com sidra nos copo de requeijão, mas se não for verdadeiro, no copo, nem põe a mão.
2013 ainda tem muito pra acontecer..... imagina 2014, 2015....

Alessandro Buzo.
@Alessandrobuzo
Suburbano Convicto Produções.
www.buzo10.blogspot.com




Foto: Frase Alessandro Buzo e modelo: Walter Limonada.

sábado, 27 de julho de 2013

O ASSALTO

Por: Alessandro Buzo

- Papo é o seguinte. Poucas palavras no rádio. Tudo certo pra ter início em 10 minutos, exatamente às 14h.
- Copiado. Respondeu Douglas.
A equipe dois tem Douglas, Brita e Mauro.
Assim que recebeu a senha de 10 minutos, Douglas pede 1 minuto pros companheiros e sai do carro.
Liga pra esposa: - Amor, não posso explicar nada agora, mas hoje eu resolvo nossa situação, não vamos ser despejados, nem nossa filha vai ficar sem remédio.
- Onde VC está Douglas, pelo amor de Deus não faz nenhuma besteira.
- Desligo e se acontecer qualquer coisa, lembra que eu te amo e amo nossa princesinha, manda um beijo pra nossa Bruninha. Tchau.
- Onde VC..... TU TU TU TU
Desespero de Cristina, esposa de Douglas. Por conta das despesas com o tratamento da filha que nasceu com um rara doença, eles se endividaram e agora estão prestes a serem despejados.
Equipe um tem MONTANHA, o chefe.... Cavera e Paulo. Mais Mônica e Valeska.
O plano foi minuciosamente passado até a exaustão. MONTANHA e Valeska já foram na joalheria, já compraram um anel. Almoçaram na praça de alimentação, viram toda a movimentação dos seguranças.
Paulo e Mônica também foram. Fizeram quase as mesmas coisas.
Elas, bonitas. Recrutadas por MONTANHA num puteiro no extremo da zona sul de SP. Não sem antes ganhar a confiança das moças, com noites de sexo, gordas caixinha, passeios pra jantar fora do puteiro, complicidade. Elas gostam de vida boa e MONTANHA sempre tem dinheiro e vontade de trepar, porque elas também gostam muito.
Logo descobriram de onde vinha, quando numa cantina, na hora de pagar a conta ele sacou uma pistola e levou tudo que tinha no caixa, deu um saco preto pra Valeska e disse: - Pega celulares e carteiras na mesa, quem tentar esconder eu mato sem piedade. Choveu celular e Valeska pegando tudo. Se sentiu a bandida quando viu um moça com um colar lindo e disse: - Tira bebê, que o colar agora é meu.
A equipe 1 entra no shopping e caminham tranquilamente por outros corredores até exatamente 14h30, a segurança muda o plantão esse horario, menos vigilantes. Os dois casais entram no mesmo momento, anunciam o assalto, eles fortemente armados e elas recolhendo as jóias, sabiam a vitrine das mais valiosas.
A equipe 2 fica de bobeira nas proximidades, estacionam proximo do carro da fuga da equipe 1, no horario que começou o assalto lá no primeiro andar e se pintar polícia, são o reforço da quadrilha.
14h30, parte o carro da equipe 1, a equipe 2 ainda fica a postos, sabem a hora de partir pra estacionar 14h30. Fizeram o percurso 1.000 vezes, com carros diferentes pra não levantar suspeita.
Tudo começa a funcionar como um relógio.
Antes do horario, Paulo pagou sorvete de creme pra Mônica, ela loira e linda, pondo sorvete na boca dele e sorrindo.
Meio frio, ele com blusa leve de capuz. De grife, diga-se de passagem.
Na praça de alimentação famílias e gente de negócios em horario de almoço tardiu.
Nos corredores a maior normalidade do mundo numa terça-feira de um grande shopping.
MONTANHA e Valeska viram os cartazes dos filmes na entrada do cinema, bebeu um chopp na passagem pela praça de alimentação, dali levantaria na hora exata de chegar 14h30 na loja, um minuto dali até lá, 14h29 ele levanta, relógio ajustado com o dos amigos.
Cavera chegou antes, almoçou na praça e está dando cobertura pro chefe MONTANHA. MONTANHA e Valeska levantam ele aguarda um pouco e levanta também. 1 minuto de tempo pra ele ter chego a joalheria.
De um lado do corredor vem MONTANHA e Valeska, do outro Paulo e Mônica. Entram no mesmo instante, o MONTANHA rende o gerente e duas moças, pede pra ninguém gritar. Agir com naturalidade.
Paulo rendeu a outra vendedora e uma cliente.
Todos fizeram silêncio, clima tenso.
Valeska e Mônica enchem duas bolsas que antes elas carregavam vazias de jóias, partem os 4 com o Cavera atrás, nada de segurança e muito menos polícia.
O assalto só é percebido na saída da loja, a gerente saiu desesperada, ela estava em estado de choque. Ligaram rapidamente pra polícia, outra loja que tem um nextel de uma viatura das imediações, avisou o CABO MOKA, que estava proximo e deu ordem pra Blazer ir pra saída do shopping.
Quando a Blazer virou, o carro do MONTANHA e o Paulo numa moto com a Mônica, já tinham dobrado a esquina, quem estava na linha de frente saindo era a equipe dois, Mauro era o piloto e Douglas e Brita estavam atrás armados. Vendo que a perseguição seria pior, pararam no meio da rua, abriram a porta, desceram e metralharam a blazer. O motorista jogou pra cima de um carro estacionado e revidaram os tiros, mas a munição dos pm´s era inferior, Douglas e Brita estavam com uma lurdinha (metralhadora) e Mauro com duas pistolas.
Quando os pm´s estavam escondidos dos tiros e a viatura batida eles seguiram fuga, mas na hora de entrarem no carro Douglas foi atingido, Brita abriu a porta e mandou ele subir. Mas Douglas tinha caído morto, o tiro pegou na nuca.
Mauro acelerou, Brita disse: - Ele morreu cara, o Douglas morreu e ele é o único que não é do crime.
- Mas morreu como homem, representou na hora das troca com os bota. Vai ter a parte dele.
Toda quadrilha dispersou, jóias guardadas uma semana até o receptador retirar e pagar. Ninguém se vê ou se fala ao telefone nesse periodo. MONTANHA deu um perdido uma madrugada, foi até o puteiro e tranzou com Valeska, Mônica havia abandonado o oficio, mas Valeska dizia que só sairia do puteiro quando MONTANHA montar uma casa pra eles.
Treparam feito doidos e nem uma palavra sobre o assunto assalto. Na saída ele..... - Tudo 100% como combinado.
Disse na hora de pagar pelo serviço, dando a frase um duplo sentido.
MONTANHA disse que era morte pra quem furasse o jejum de uma semana sem se ver nem se falar. Mas ele era o chefe e precisava tranzar com Valeska, imaginava ela no puteiro com outros caras, isso nunca o incomodou porque pra ele ela era só uma amiga puta, mas parece que o sentimento anda querendo falar mais alto, mas MONTANHA não demonstrava nada. Ele é frio e calculista. Em tudo. Só é quente na hora de tranzar com Valeska que é ambiciosa: - Se eu não gostasse de dinheiro não estaria aqui nesse puteiro dando pra esses caras que chegam aqui bebados na madrugada, alguns deles gastando o dinheiro que era pra outras despesas do lar, mas o alcool o levou até o inferno e ele queria abraçar o capeta que atendia por Valeska, mas que nasceu Camila.
Um dia após o assalto, joalheria não divulgou o valor mas estimasse em torno de R$ 500 mil, a polícia havia identificado o morto e bateram na sua casa, Cristina atendeu e vendo a polícia pensou o pior e caiu em desespero, o seu marido não havia retornado depois daquele telefonema, só ela e sua mãe sabiam do telefonema, mas nem sonhavam no que ele havia se metido pra arrumar dinheiro.
O tenente comunicou a esposa e perguntou: - VC sabia do envolvimento dele ? Tem armas ou drogas na casa ?
- Nada disso, nunca imaginei.
Correu pro quarto da filha, pegou ela no colo. Clima ficou tenso, ela poderia ter sido baleada.
Uma polícial se dirigiu ao tenente e disse: - Nessa casa não tem nada senhor.
Uma assistente social passou a falar com Cristina. Ela parecia em choque. Sua mãe chegou nesse momento e falou com a polícia, Cristina não tinha condições de nada.
No velório um homem, não era nenhum da quadrilha, era um laranja que ganhou R$ 200,00 pelo serviço. Chegou na mãe de Cristina e disse: - Meus pesames, eu era amigo dele (tudo baixinho no ouvido), queria ajudar nas despesas, acabei de por um envelope branco no lixo ali fora, é uma ajuda pras despesas.
Dona Marta olhou o homem se afastar, depois como que caindo a fixa do que tinha ouvido foi lá e pegou o envelope, sem saber o que fazer resolveu ir ao banheiro e contou R$ 5.000.00
Só contou pra Cristina no dia seguinte, o irmão do Douglas que mora em Ribeirão Preto foi quem emprestou R$ 2,000,00 pras despesas de funeral, havia dito que não havia pressa em receber de volta e que 50% do valor era uma ajuda dele.
A polícia vigiou a casa de Cristina por alguns dias. Viu quando ela um dia antes de ser despejada se mudou pra casa da mãe dela.
Deixaram de se preocupar com ela em 10 dias.
No dia que o assalto completou 1 mês, a família fez uma missa, haviam feito uma de sete dias.
Na saída da igreja, MONTANHA chega em Cristina como quem cumprimenta e diz: - Seu marido morreu como um homem e aqui está a parte dele, rendeu 450 mil, dividido por oito, menos despesas com quem deu a fita, tem 50 mil em dinheiro na sacola que eu deixei ali, e apontou pra um banco com Valeska sentada. MONTANHA saiu por um lado, Valeska por outro. Cristina disse: - Mãe, pega a minha sacola ali.
Em casa contaram o dinheiro. Cristina lembrou da frase do Douglas ao telefone: - Amor, não posso explicar nada agora, mas hoje eu resolvo nossa situação, não vamos ser despejados, nem nossa filha vai ficar sem remédio.
Não foi hoje, o despejo já foi.... mas o tratamento da filha poderia ser um pouco melhor.
Cristina nunca descobriu como Douglas se envolveu...... agora que ele morreu. Ninguém sabe, nem eu.

Alessandro Buzo é escritor
www.buzo10.blogspot.com


sábado, 20 de julho de 2013

Sarau Suburbano orgulhosamente apresenta...... lançamento da Biografia do SABOTAGE com o autor Toni C

LANÇAMENTO !!!!!
Livro: UM BOM LUGAR - Biografia Oficial de Mauro Mateus dos Santos - SABOTAGE. Por: TONI C
Terça-feira 23 de Julho de 2013 - Das 19h30 às 22h

* TRAGA A SUA POESIA (ou) SUA RIMA
Ou venha só prestigiar...
ENTRADA GRATÍS.

E está terça-feira promote, além do TONI C lançando o livro do SABOTAGE, presença do Wanderson (filho do Sabotage)....
Estaremos ainda gravando um programa pra TV. "Surpresa" !!!



Livro: UM BOM LUGAR - Biografia Oficial de Mauro Mateus dos Santos - SABOTAGE. Por: TONI C

Apresentação:



Alessandro Buzo e Tubarão Dulixo




Toni C, autor da Biografia do SABOTAGE



LOCAL: Livraria Suburbano Convicto

Rua 13 de Maio, 70 - 2o andar
Bixiga (Região central de SP)
11 2569-9151
suburbanoconvicto@hotmail.com
TWITTER: @Suburbanoloja


www.sarausuburbano.blogspot.com




ANO III


Sarau Suburbano

Toda terça-feira (exceto feriado), das 19h30 às 22h
gratís

sexta-feira, 19 de julho de 2013

NA VIDA SOBREVIVI, NA CULTURA..... RENASCI.

Por: Alessandro Buzo

Minha vida tem o "antes" do envolvimento cultural e o "depois" que é a partir de dezembro de 2000 quando lancei o meu primeiro livro: O TREM - BASEADO EM FATOS REAIS.
O antes tem nada de especial pra destacar, nascido e criado no Itaim Paulista, comecei a trabalhar no centro de São Paulo com 13 anos, meu primeiro trampo foi de "office boy" que me possibilitou conhecer a cidade de São Paulo. Estudei pouco e com 16 anos, 17.... conheci a cocaína. Cheirei por anos e na pior fase, sem grana pro vício na farinha, fumei mesclado (crack com maconha).
Mesmo viciado, nunca roubei ou vendi droga, gastava o meu dinheiro (que não era muito), trabalhei anos de boy, depois de aux. escritorio e aux. dpto pessoal. No ramo de contabilidade.
Muito trem lotado do Itaim Paulista (extremo leste) pro centro.
Fui baloeiro, fui de torcida organizada (Mancha Verde do Palmeiras) e pres. da LESTE ALVI VERDE (91 à 94).
Parei de usar droga quando conheci a hoje minha esposa (15 anos juntos) Marilda Borges, era ela ou as drogas, escolhi ela.
Depois que sai da contabilidade (anos), não arrumei nada no ramo e trabalhei em muito trabalho que não gostava, ganhando pouco e levando vida dura.
Fui servente de pedreiro, apontador em obra, ajudante geral. Sub-Empregos que mal dava pra sobreviver. Mas sempre lutando.
Minha ultima ocupação antes de me dedicar só a cultura, foi vender alimento de atacadista na zona cerealista, pros melhores restaurantes de São Paulo, fiz isso 8 anos.
Quando casei e nos primeiros anos de vida dele, viviamos das minhas vendas nos atacadistas da vida.
Trabalhando em um (Atacadista São Paulo) escrevi meu primeiro livro, sobre os veneno do trenzão), e noutro trampo (Super do Brasil) eu publiquei, com apoio de 1/3 da firma, equivalente a R$ 1.000,00. Eternamente grato Sérgio, meu ex-patrão, hoje dono da PET SHOP MARGINAL.
Outro que me ajudou, no segundo e terceiro livros, foi o Sr. Pedro, meu patrão na Lojiodice na Rua da Cantareira (rua do Mercadão Municipal de SP). Ele não me deu nada, mas liberava de eu mandar alimento (pagava depois parcelado) pra Editora Edicon e em troca dos alimentos eles me davam livros.
Lancei em 2000 e até 2004 (quando lancei o segundo), foram anos de pouquíssima grana no bolso e muita dificuldade. Lembro um dia que pra deixar mistura pro filho, eu e a nega rachamos 1 ovo.
DE SOFRIMENTO JÁ BASTA MEU PASSADO.
Hoje as coisas melhoraram, graças a Deus.
Trabalho na TV Globo a 2 anos (Apresento quadro SP CULTURA no SPTV 1a edição) e antes fiz a mesma coisa (mostrar a cena cultural da periferia), no Programa Manos e Minas da TV Cultura.
Já publiquei 10 livros e organizei 7 coletâneas literárias. Lancei 17 livros em 13 anos.
Fiz (sem captar um único real) o filme PROFISSÃO MC (ficção, 2009, 52 min) com Criolo Doido, Da Antiga e Dan Dan de atores principais e o amigo Toni Nogueira na direção comigo.
Conheci Buenos Aires na Argentina e 11 estados do Brasil, fiz palestra da cadeia ao Fórum Social Mundial. Faculdades, Casa do Saber, escola pública e particular.
Tirando as conquistas acima, vários outros projetos em andamento, como Jornal Boletim do Kaos, evento de Hip Hop Favela Toma Conta (desde 2004), Sarau Suburbano nos ultimos 3 anos, Livraria Suburbano Convicto desde 2007.
Conquistas sem pisar na cabeça de ninguém, sem perder a humildade jamais. Nunca usei ninguém de trampolim, minha luta (junto com a esposa Marilda) foi e é diária, nossas realizações são pautadas pelo trabalho. Quem luta conquista.
Hoje até em Faculdade promovo atividade cultural, parceria desde início de 2013 com a UNINOVE, se minha mãe visse isso, sempre sonhou comigo na faculdade.
Fácil não foi mesmo, mas ninguém disse que seria. Os amigos verdadeiros são poucos mas sei quem é, quem somou nas piores fases. Destaco Guilherme Azevedo, Douglas Kim e Toni Nogueira.
Hoje ta fácil..... mostram minha cara (nem sou tão bonito assim) na TV todo sábado. Mas em 2000 na primeiro vez que apareci na TV, um vizinho lá do Itaim Paulista disse: - Te vi na TV e vc nem estava algemado.
Era assim que a periferia se via na TV.
Completo 2 anos de SPTV e foram quase 100 quadros exibidos. Orgulho de poder mostrar esse conteúdo (cultura na periferia) na audiência da Globo.
Não me orgulho de ter chego à Globo e sim de ter levado a periferia comigo.
Sem tempo pra Bla Bla Bla, picuinha e diz que me disse. Sigo sempre com foco na missão (Mais Cultura na Periferia), sem descansar porque nosso inimigo não descansa, não vou me dar esse luxo.
Nos tempos difíceis o meu lema era: NADA COMO UM DIA APÓS O OUTRO DIA.
Hoje que o barato ta loko e a agenda (www.agendabuzo.blogspot.com) lotada, meu lema é: - Nóiz capota mais num breka.
Sem pagar de artista e muito mesmos de global. Sigo com base em "muito" trabalho, porque quem vive de nome é cartório.
Valeu a todos que fortalecem, a todos que um dia leu um livro meu.

Alessandro Buzo
www.buzo10.blogspot.com

TWITTER: @Alessandrobuzo

TV, quadro SPTV

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2011/10/confira-reportagens-do-sptv-sobre-cultura-de-periferia.html

Filme Profissão MC (52 min. 2009, ficção), 522 mil acessos no Youtube, 10 mil DVD´s vendidos.

https://www.youtube.com/watch?v=sYJDb0ABfbU

Assessoria de imprensa e contratações: (11) 98218-7512
suburbanoconvicto@hotmail.com

sábado, 29 de junho de 2013

SARAU SUBURBANO recebe lançamento literário e CD do Funk Buia nesta terça...... no Bixiga.

Terça-feira, 02 de Julho de 2013 - Das 19h30 às 22h
Na Livraria Suburbano Convicto....
Rua 13 de Maio, 70 - 2o andar - Bixiga
* Gratís


TRAGA SUA POESIA (ou) SUA RIMA.


Lançamento - CD "Verdadeiro tem que Ser" do Funk Buia.





Lançamento do livro - "Antes de Evanescer" (romance)‏ de Escobar Franelas





* Cerveja gelada em nossa bomboniere
* Venha "também" .... só prestigiar.....

www.sarausuburbano.blogspot.com

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Tudo ao mesmo tempo agora. "Nóiz" capota, mais num breka.

Por: Alessandro Buzo

Antes de pedir a Deus, tenho muita coisa pra agradecer.
Desde os meus 13 anos de idade que trabalho pra sobreviver, estou com 40 anos.
Comecei (1985) de Office Boy num escritório de contabilidade. Depois virei Aux. escritório, aux. dpto pessoal.
Saí da Contabilidade quase 10 anos depois.
Trabalhei de tudo depois disso, de ajudante geral a apontador em obra do CDHU.
Até que descobri as vendas de alimentos pra restaurantes, hoteis, clubes, hospitais. Fiz isso "vender alimento" por anos.
Casei em 1998, fui pai (único filho) em 2000.
Passei muitas nescessidades financeiras em 2001, 2002, 2003 e 2004. Muitas mesmo, de quase passar fome.
Mas.... eu não era mais um pessoa comum. Arrumar um emprego e pagar as contas não era mais a ÚNICA POSSIBILIDADE.
Eu era um escritor, lancei em 2000 meu primeiro livro: O TREM - BASEADO EM FATOS REAIS.
Isso (com o tempo) fez toda diferença.
Segui vendendo alimento pra sobreviver, até 2008. Mas paralelo eu lançava meus livros e promovia meus eventos.
O cultural cresceu tanto que a partir de 2008 eu passei a trabalhar só em assuntos ligados a cultura.
Foi também a partir dai que consegui uma estabilidade que nunca tive na vida. Sobreviver e pagar as contas em dia.
Depois do terror financeiro de 2000 à 2004, de 2005 a 2007 foi de progresso, comecei a fazer palestras remuneradas, ganhar cachê aqui e ali. Seguia vendendo alimento e com um qualquer vindo da cultura fui pagando as contas (limpando meu nome), etc....
Passei a viajar pra eventos em todo Brasil, pra quem pegou a vida toda trem lotado, agora eu andava em aeroporto.
Nunca deixei o carro chefe que é ser escritor e lançar meus livros, mas passei a fazer outras coisas (cinema, TV) e curadoria de projetos.
Lancei (até aqui) 10 livros meus e 7 coletâneas literárias.
Em 2009 lancei-me como diretor com o filme Profissão MC. Feito sem captar um único real, gravado no Itaim.
Desde 2004 acontece o evento de Hip Hop FAVELA TOMA CONTA que realizo na minha quebrada Itaim Paulista, esse ano vai pra 27a edição (antes era 3, 4 por ano, agora é anual no dia das crianças).
A soma de tudo isso, livros, palestras, filme, eventos. Mais recente (3 anos) promovo e apresento ainda o SARAU SUBURBANO na minha Livraria Suburbano Convicto (6 anos), especializada em Litertura Marginal.
Essa soma, mais a TV, fiz 3 anos de quadro cultural no Programa Manos e Minas da TV Cultura e nos ultimos 2 anos faço o mesmo no telejornal (participação semanal) SPTV 1a edição da Globo, fez com que hoje a realidade seja outra.
Não fiquei rico, mas vivo e pago minhas contas em dia, fazendo coisas que eu gosto e isso não tem preço.
Mesmo com a agenda sempre cheia, tenho mais tempo pra minha família (esposa e filho) e isso também não tem preço.
Sigo adiante, sonhando alto com os pés no chão.
Nos tempos de vacas magras e trem lotado, meu sonho era um dia não trabalhar das 8h às 18h pra patrão capitalista, isso eu já conquistei.
Na verdade já realizei bem mais do que sonhei, cheguei mais longe do que imaginei. Posso dizer que na minha vida, daqui pra frente, o que vier é lucro.
Claro que existe novas metas. Mas só de ter colocado meu nome entre os principais da Literatura Marginal, de ter colocado o nome do Itaim Paulista no cenário cultural, já é mil grau. Agora o foco é o crescimento da Suburbano Convicto Produções, seguir em parcerias solidas com parceiros como a Faculdades Uninove e outros.
Mudar vidas como mudei a minha.
Ser humilde e acessível a todos faz parte do meu jeito, não quero ser artista, quero ser referência.
Porque na periferia ou a referência é o mano da cultura ou pode ser o traficante que tem dinheiro no bolso, moto e roupas da moda, tênis de marca. Que a referência seja o escritor, ou o MC, grafiteiro e assim por diante.
Hoje, depois de 2 anos na TV Globo, consegui uma visibilidade que eu nunca imaginei que fosse possível pra um cara comum, da favela, do Itaim Paulista.
Saio pra rua e "todos os dias, mesmo numa ida ao banco na rua da minha casa, são muitas as pessoas que me reconhecem e cumprimentam, geral curte o quadro SP CULTURA que faço no SPTV. Todos concordam que o lado positivo da quebrada precisa ser mostrado.
Mas não é os "mano" e as "mina" que dão os parabéns.... é da senhorinha no mercado, o segurança no banco, o cara parado do meu lado no farol. Geral.
Acontece todo dia, toda hora.
Eu que sempre fui tranquilo e humilde, atendo a todos com o maior prazer do mundo.
Esses dias no mercado uma senhora ficou do meu lado e disse: - Deixar eu ficar um pouco do lado de uma celebridade.
Ela falou com um carinho que só posso agradecer a Deus.
Isso é unir o útil (dar visibilidade) pros projetos que mostro, com o agradável que é ver o povo se sentindo representado na TV e de quebra, vendo que o LEQUE CULTURAL é grande.
Pra quem talvez não saiba, é esses projetos que mostramos todo sábado, que dão um alivio a muitas comunidades e indiretamente combate a violência, pois tira jovens do crime.
Eu que já fui viciado em drogas, já tive endividado e sem crédito. Poder pagar minhas contas em dia fazendo o que eu gosto, é mais, bem mais do que eu sonhei, no mais otimista dos meus sonhos.
Por isso que não tenho muito a pedir à Deus, tenho bem mais a agradecer.
Sonhos ainda existem e o maior de todos "ainda" é comprar a casa própria. Mas com fé em Deus, passo a passo.
EU VOU CHEGAR LÁ. EU VOU CONQUISTAR.
Não sou o dono da verdade e nem mesmo quero agradar a todos.
Então "VC" pode até não gostar de mim, pra precisa respeitar minha trajetória.

Alessandro Buzo é escritor
www.buzo10.blogspot.com
Twitter: @Alessandrobuzo

CONTATO: suburbanoconvicto@hotmail.com

TODO HOMEM É CULPADO DO BEM QUE NÃO FEZ

quinta-feira, 30 de maio de 2013

REVOLUCIONÁRIO DE FACEBOOK - Parte I e II

Por: Alessandro Buzo

Eu estava comentando a violência que vi na VIRADA CULTURAL (madrugada foi mil grau) e um cara aqui no FACE disse: - Bem vindo ao mundo real, bla bla bla
Nossa... como se eu não soubesse. Anda nas ruas o tempo todo, conheço tudo que é quebrada.
Vejo as periferias hoje aceleradas demais e sem freio.
Não coloco a culpa no FUNK, ele só ajudou a bagunçar de vez.
Mas o que ta pegando é muito desestrutura familiar.
O pai e a mãe precisa saber no mínimo onde e com quem seu filho anda, só tenho 1 filho (de 13 anos) e acompanho "TUDO" que posso.
Acho que nas redes sociais tem muito REVOLUCIONÁRIO e nas ruas promovendo a mudança VC não vê esses mesmos. Falar AQUI é fácil demais. Brigar, xingar, ser valente.
É muito CHE GUEVARA e pouca revolução.
No RAP é até chato (encheu o saco) ouvir uma parte da galera que mete o pau em A, B ou C. Que não é favela, que não é isso, que não é RAP.... bla bla bla....
Enquanto esses ai perdem tempo falando do EMICIDA por exemplo, o EMICIDA e a Laboratório Fantasma ta trabalhando a milhão, tem um profissionalismo acima da média, esses dias ele estava em NY, agora ta indo pra EUROPA, e o moleque lá da favela fica metendo o pau nele e não ganha NADA COM ISSO, nem ele e muito menos o movimento. O INIMIGO É OUTRO.
Temos tanto a falar, protestar e ficamos brigando "entre a gente"....
Eu vi com meus olhos de onde o EMICIDA venho (Vila Zilda, Cachoeira), tudo quebrada e o cara venceu.
Porra, vá falar do MALUF que tenho milhões do nosso dinheiro em paraísos fiscais.
Eu gosto do RAP GANGSTAR, curto FACÇÃO CENTRAL, REALIDADE CRUEL, Consciência Humana, Alvos da Lei. Mas meu celebro cabe ambos.... eu curto RACIONAIS, RAPPIN HOOD, GOG.... mas gosto também de KAMAU, Rashid, Rincon.
Sou "A 286" e Inquérito. Sou Tribunal Mc´s e Projota.
OK.... não gosta dos dois lados do nosso RAP, curte só um e não ataca o outro.
O sucesso do CRIOLO deveria ser só ORGULHO pra quebrada, o cara venho do Grajaú, ta a mile ano no RAP e de repente com um disco mágico "ele" estoura na grande mídia, nos grandes palcos e passa a frequentar shows com grandes nomes, ser elogiado por Chico Buarque, Caetano Veloso. PONTO PRO CARA, devemos (por conhecer a história dele) nos orgulharmos, está quebrando barreiras. Mas tem um monte de gente que prefere dizer que não é RAP, bla bla bla.
Eu quando fui pra Globo, isso ta completando 2 anos (mais de 80 quadros exibidos), recebi algumas criticas, mas só daqueles que VC só vê no FACE.
Nunca a quebrada, o próprio Hip Hop teve tão em alta na mídia, mas ainda assim tem gente pra falar contra.
Eu só sei de mim..... NÃO ME VENDO, PORQUE NINGUÉM PODERIA PAGAR, independente de onde for, saíba chegar.
Eu sabia que o trabalho bem feito iria falar por si só e é isso que está acontecendo..... é isso que importa.
Nas ruas (quebradas ou não) o que recebo é carinho, muito carinho do povão que está se sentindo representado nas telas e isso que importa.
EU NÃO CURTO FAVELA, SOU A FAVELA EM PESSOA.
Sou favela antes mesmo de chamarem de comunidade.
Nossa luta (HIP HOP / LITERATURA MARGINAL) é pra tirar os jovens da alienação do sistema e o sistema só manda polícia pra gente. Um exército de pessoas fazem a diferença, mas é pouco em comparação da quantidade que ainda é manipulada, não podemos ficar achando que é TUDO NOSSO, que a FITA TA DOMINADA enquanto tem um monte de gente das quebrada usando droga pra caralho, bebendo muito alcool e se matando. A LUTA CONTINUA e juntos.... somos mais fortes.
Mas o TAMO JUNTO banalizou, muito diz que me diz.
Precisamos estar juntos de verdade. Muita gente só preocupada em ganhar dinheiro aqui e ali, viajar, hotel, avião.
Não reclama do que viu na VIRADA com medo de não ser chamado ano que vem, os jovens que se matem, a gente canta em cima dos corpos, importante é o cachê.... e nem tô falando do RAP, tô falando da classe artistica em geral.
Uma sábia frase numa música do RZO lá atrás já dizia: - Fala do mano pra mim, ta certo que vai falar de mim pra alguém.
FAZ A SUA, FAZ SEU CORRE. Acredite nos seus sonhos. Mas sem picuinha, sem usar ninguém de trampolim.
Um mundo melhor é possível.... se cada um fizer a sua parte.
TAMO JUNTO é quando é pros 2 lados.
Política de DIVIDIR nunca vai ser igual a política de somar.
Agora saiba que a revolução não será televisionada, mas também não irá acontecer no FACEBOOK.
Melhore a sua rua e estará melhorando parte do mundo.
Faça a sua parte e estará contribuindo por um mundo melhor.
ZUM ZUM ZUM, cheira mal.


Alessandro Buzo e escritor, cineasta e apresentador de TV

www.buzo10.blogspot.com
TWITTER: @Alessandrobuzo



REVOLUCIONÁRIO DE FACEBOOK - Parte II


Vi nos mais de 100 comentários do texto "REVOLUCIONÁRIO DE FACEBOOK" que publiquei exclusivamente no FACEBOOK, que a grande maioria da RAPA concorda que esse bla bla bla, já deu o que tinha que dar.
Chega de FULANO é FAVELA, beltrano é MODINHA.
Muitos concordaram que o INIMIGO é OUTRO e ele também não é o cara do outro estilo música (seja qual for ele)....
Eu não curto sertanejo, mas preciso respeitar quem curte.
O Funk é cheio de problemas, mas a batida é da hora, quem não gosta de um pancadão, mas deixa pros manos (e minas) do Funk evoluirem por si só. Quem sabe um dia com letras melhores e menos ostentação, mas não é a gente que precisa impor isso, deixa o deles com eles e no fim é tão quebrada quanto a gente.
A pessoa pode ser ROCK, PUNK, PAGODEIRO e ser tão favela quanto eu que sou RAP, assim que tem que ser. Respeito em primeiro lugar.
Quer atacar alguém..... faça isso com aquele político que prometeu e não cumpriu.
Você lembra em quem votou na última eleição pra vereador, deputado estadual, federal ??
Aquele vereador que enche teu bairro de panfleto e tem foto em tudo que é poste. Depois de eleito ele voltou ? Ta em cima do que ele prometeu ? Se não está... COBRA.
Você pode cobrar indo no gabinete dele, sabia que a CÂMARA DOS VEREADORES é conhecida como "A CASA DO POVO"... ? Se somos o povo vamos ocupar, cobrar.
Mas você pode cobrar fazendo uma poesia, um RAP, um funk.... enfim.
Eu sou contra a redução da maioridade penal porque só vai piorar na favela, o que precisa pra "melhorar" é investir pesado em cultural, esporte, educação.
Quando digo educação não tô falando só do que os professores cobraram na ultima greve, digo EDUCAÇÃO da base, REVOLUCIONAR a NOSSA EDUCAÇÃO com salários melhores pros professores e escolas inteligentes com programação cultural, com biblioteca, segurança. Não adianta dar 17%, 10% de aumento, precisa de um AUMENTO REAL e investimento, mudança de comportamente e atitude de professores e principalmente diretores de escola pública de São Paulo.
Meu filho estuda numa escola estadual e nunca fui chamado (além da reunião normal de pais que é pra encher linguiça), nunca fui chamado pra uma atividade, uma AÇÃO. Acho que falta isso.... não eu como "artista", mas eu como PAI, convocar os pais pra frequentarem o dia a dia das escolas.
Eu apoio uma MELHOR EDUCAÇÃO, muito além do que sindicato pede de aumento.
Mais cultura é investimento também..... muito além do VAI, PROAC. Chegar naquele projeto de sucesso na quebrada (mostro vários deles na TV) e ajudar quem já faz, sem edital.
Mais tudo isso é modernidade demais.
Fácil querer e cobrar medalhas quando chega Olimpíada, mas cadê o investimento no ESPORTE durante o ano todo. As empresas privadas e o poder público deveria investir em esporte, com certeza milhares de campeões iriam surgir nas nossas periferias, mas nada (ou quase nada é feito).
Todo mundo quer o Brasil campeão do Mundo, mas e os milhares de jovens que sonham ser jogador, quem investe... cadê as peneiras, cadê os campos de várzea que virou tudo CDHU.
Copa do Mundo é bom ? Cadê o investimento na saúde (hospitais), transporte público (ônibus, trem e metrô).
A Copa é pra inglés ver.... ou vai trazer beneficio pras cidades sedes, ou São Paulo, Salvador, Rio de Janeiro e tantas outras não tem centenas de prioridades.
É tanto assunto pra gente escrever, compor, cobrar.
Ficar dizendo: - Há, fulano é modinha, beltrano é Rap universitario. Só enfraquece o movimento.
Os boy quer mais é a gente se xingando e se dividindo.
Nosso povo ta nas condução lotada, ganhando piso salarial. Precisamos nos preocupar é com uma cidade mais humanizada e não se o Criolo foi pra Europa, se o Emicida foi pra Nova York.
Tem mais é que ir mesmo. Quem disse que pra ser FAVELA, do RAP a gente tem que estar tudo fudido, sem dinheiro, morando na beira do corrego (morei anos assim no Itaim Paulista). Quem disse que pra ser do HIP HOP é preciso não ter dinheiro no bolso. Muita gente do RAP tem mais de 30, 40 anos, filhos pra criar. Imagina o moleque de 12, 13, 14 anos que vê seu pai no RAP e não vê comida na mesa, ele vai dizer: - Isso não ta com nada.
Mas se com o RAP vc cuida da sua família, paga as contas em dia, põe comida na mesa, paga convênio médico, viagem..... ok, podemos dizer que seu filho vai querer isso pra ele também.
De sofrimento já basta meu passado, frase loka do Ferréz.
Falando nele, vejo a cena literária, periférica, num "excelênte momento"... monte de sarau, gente publicando sempre....
Só podemos querer dai pra melhor.
Só não podemos pegar nosso VAI, por debaixo do braço é esquecer toda caminhada. Que a gente mantenha a amizade, o companherismo, afinal lutamos por mais literatura e poesia nas quebradas, não é isso ? Não pra disputar quem ganha mais edital, quem é maior, melhor.
Nossa literatura é de protesto.... vamos falar de amor, de outras coisas, claro que sim, a favela é tudo isso também.
Mas não esqueça que nossa literatura é marginal, periferica, divergente.
Eu sou LITERATURA MARGINAL e me orgulho disso, se cheguei em outras cenas, cinema, TV..... tudo começou escrevendo meus livros no Itaim Paulista.
Se "pá" hoje sou até famoso, mas é no Itaim Paulista que vou passar meu feriado, afinal..... eu sou um cara que preserva as raízes, amo estar com os amigos e a família.
Muitas vezes o "AMIGO" é o cara comum, da sua rua, do seu bairro e não aquele amigo de cultura, que está no mesmo palco que vc. Ou não.....
Vamos seguindo, sem regras, sem dono da verdade e mantendo sempre o RESPEITO.
Atitude no dia a dia, nas coisas pequenas e não só com as câmeras ligadas e os holofotes.
Não curto favela, sou a favela em pessoa.



Alessandro Buzo e escritor, cineasta e apresentador de TV

www.buzo10.blogspot.com
TWITTER: @Alessandrobuzo

terça-feira, 7 de maio de 2013

Hoje o Sarau Suburbano comemora 3 anos.

07/Maio/2013 - das 19h30 às 22h
Entrada gratís




* Clique na imagem para ampliar...


SEMPRE COM UM SUPER LANÇAMENTO LITERÁRIO

O Sarau Suburbano se orgulha de sempre ter um lançamento literário ou do Hip Hop nas suas edições.
Prova de que tem realmente muita gente produzindo.
Essa noite receberemos a Márcia Tatiane Coimbra dos Santos lançando o livro Versos e Rímas da Noite.



COMEMORANDO 3 ANOS !!!!
Ultimo sábado (04 de Maio) o Sarau Suburbano completou 3 anos de resistência.
Chegou, mostrou a que venho, se firmou como semanal e chega aos 3 anos com várias coisas acontecendo, tipo.....
* Edição especial mensal nas Unidades da Faculdade Uninove.
* Participando de eventos no Memorial da América Latina (abril/2013), VIRADA CULTURAL DE SÃO PAULO pelo terceiro ano seguido. (maio/13), Dia do Grafitti (abril/13 no Bixiga, na rua).
* Acabamos de lançar o livro: POETAS DO SARAU SUBURBANO - Vol 2 (58 autores) e o documentário: SARAU SUBURBANO - Poesia, rimas e atitude (57 min)
Não existe jeito melhor de fazer aniversário.
Agradecer nesse momento aos verdadeiros, que fazem parte do time que só tem CAMISA 10.
Tubarão Dulixo pela correria de apresentar comigo o Sarau toda terça ou onde o sarau for, sempre junto.
A minha equipe de apoio, Marilda Borges e Evandro Borges.
A cada um dos poetas que declamaram nesses 3 anos, são muitos, são tantos.... o que mostra que o povo gosta sim de poesia, de literatura, de mostrar seus sentimentos em forma de poesia, não posso citar nome porque com certeza esqueceria muitos, então agradeço por fazer parte conosco desse sonho virando realidade, que vai sempre e quem declamou uma única vez.
Sem palavras.... sem vocês não seria possível.
Enfim.... agradecer a quem só vai assistir, que colou de passagem, um só vez. Quem vai sempre e falando em ir sempre só pra assistir não poderia deixar de saldar o Ismael Rojas que vai praticamente toda semana.
Que venha mais um ano de poesia, lutas e protestos, mais um ano de saldar o amor, a amizade.
Que Deus permita que possamos seguir ainda por muitos anos... juntos sempre.
É isso....
Alessandro Buzo
idealizador e apresenta com o Tubarão Dulixo o Sarau Suburbano * 3 anos.



Livraria Suburbano Convicto - A Casa da Literatura Marginal
A casa do SARAU SUBURBANO

Rua 13 de Maio, 70 - 2o andar
Bixiga (regiao central de São Paulo)
11 2569-9151
suburbanoconvicto@hotmail.com
www.sarausuburbano.blogspot.com

domingo, 5 de maio de 2013

Os políticos representam o interesse de quem ?

Por: Alessandro Buzo

Pra que a gente vota ?
Sei.... pra ter aquele papelzinho de votação porque sem ele você não pode entrar numa faculdade pública, não pode viajar pro exterior, bla bla bla
Mas além disso, pra que mais votamos.
Que eu saiba ou pelo menos me disseram, que é pra eleger pessoas pra cuidar dos nossos interesses. Pois bem....
Acho que o problema da política é que "depois de eleito" eles só cuidam dos "próprios" interesses.
Juntando o salário e o benefícios dos nossos vereados (com seus gabinetes e assessores), nossos deputados estaduais e federais, não precisava nem roubar e alguns ainda se prestam a esse papel com uma certeza da impunidade que é um tapa na cara de um cidadão como eu.
Não importa o partido (inclusive o que sempre eu votei), não importa a patente. Falta políticos que cuide dos interesses do POVÃO que vota nas urnas e só nessa época é lembrado.
Não estou generalizando porque toda generalização é burra. Mas 99% dos políticos não me representam.
A minha maior decepção política, depois de ver o COLLOR ser eleito deputado com tudo que ele fez lá atrás, sem dúvida pior que isso foi o LULA (meu ídolo) ir a Casa do Maluf e apertar sua mão pedindo apoio ao Haddad (na época candidato e hoje prefeito eleito de São Paulo).
E a política hoje em dia é tão sem opção que pra não votar no Serra ou Russomano, ainda tive que votar no Haddad e engolir o apoio do Maluf um dos grandes INIMIGO do povo que tem fortunas no extrangeiro desviado da PMSP. E ainda assim..... eleito deputado.
O povo tem parte da culpa sim, por acreditar que eleger a BANCADA DA BALA (Telhada, Conte Lopes e outros) a vereador é cuidar da segurança da cidade.
Por essas e outras que eu ando MEGA desiludido com a política mesmo sabendo a importância dela.
Mas a política é importante demais pra ficar na mão desses políticos da atualidade.
Os cara tira onda da cara do povo, enquanto os direitos humanos ta na mão do FELICIANO, e só se debate a sua saída e não a DEMANDA da pasta de direitos humanos, enquanto fica esse circo, chacinas acontecem na periferia de São Paulo e na grande maioria das vezes morre inocente e fica por isso mesmo. É pobre, pode matar que pega nada.
FELICIANO NÃO ME REPRESENTA.
Enfim.... e a TURMA DO MENSALÃO tudo gordo, forte, impune. E castelo pra lá, dollar na cueca pra acolá.
Na TV os programas políciais (que por ética de imprensa prefiro não citar nome), mas todos sabem quem é.... seja em São Paulo, Rio de Janeiro ou outro estado qualquer.
Eles plantam o medo na sociedade. Esses dias assisti um pouco e é lamentável como o tempo todo o apresentador fala pro povo: - Você não está protegido, nem dentro de casa, nem na rua. Você vai morrer, ser sequestrado, estrupado ou no mínimo atropelado por um motorista bebado. Fique em casa, mas feche tudo, se proteja.
Olha só, eu vivo o tempo todo na periferia, nas favelas. Tem problemas.... tem. Violência .... tem também. Mas tem muito mais do que isso, tem a maioria esmagadora do povo que é trabalhadora, trabalha muito, ganha pouco e ainda leva a vida no bom humor, tomando uma gelada com os amigos, jogando futebol na várzea, fazendo samba.
Valoriza as coisas boas, os projetos culturais, esportivos e sociais, em vez de ficar pagando pau pra delegado, advogado e tuda turma desse circo de horrores.
Agora vem forte de novo os pedidos de Redução da maioridade penal. EU SOU CONTRA.
Abaixa hoje pra 16, daqui 20, 30 anos vão estar querendo abaixar pra 14, 12.... até o dia que a criança que nascer no Santa Marcelina do Itaim Paulista como meu filho, vai ter que tomar uma geral antes de cortar o cordão ubilical. DIGA NÃO.
O que precisa fazer é investir PESADO em educação, bem estar da população que sofre nessas condução lotada, investir em projetos sociais e culturais, mas investir de verdade.
Investir em saúde, sabe o que acontece nos corredores dos hospitais públicos de São Paulo ?
Segurança sim, um polícia mais bem equipada e motivada, não PM tendo que fazer bico em mercadinho da quebrada pra complementar a renda.
Investir nos professores pra que bem remunerados eles tenham motivação pra encarar uma turma de 40 alunos numa sala de aula da periferia.
Mas com os políticos que ai estão.... acho difícil isso a curto e médio prazo.
Sonho a longo prazo, nem que seja por um mundo melhor pros meus futuros netos que ainda não tenho.
Destaco pelo trabalho sério, em nome de todos os outros políticos sérios... o trabalho do Deputado Federal Romário (mostrando que pode ser bom na política como foi no futebol) e a Deputada estadual SP "Leci Brandão" (mostrando que pode ser bom na política como é no samba). Claro que tem outros bons, mas os ruins estão ofuscando.
Ao povo cabe o direito ao voto e poderia usar melhor desse direito.
Não acredite em contos de fardas e não eleja quem só promove mais violência, pensando ser ele a solução.
Vamos acreditar que um mundo melhor é possível, mas não nescessariamente achar que essa melhora virá só dos políticos.
Acredite em Você, na sua Comunidade e faça sempre a sua parte.
Eu não quero e nem vou salvar o mundo. Só posso fazer o que estiver ao meu alcance pra tormar o mundo um pouco melhor e mais justo.


Alessandro Buzo é escritor, cineasta e apresentador de TV

www.buzo10.blogspot.com

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Literatura (é) a Cura.

Acabo de ler "Bentevi, Itaim". Livro de Akira Yamasaki. (156 paginas), uma bela obra poética.
A sensibilidade de Akira Yamasaki é sentida em suas linhas, vale a pena conferir.
#INDICO


Estou lendo.....
Lendo "Cobras e Lagartos" de Josmar Jozino (Objetiva - 278 paginas). Sobre o crime organizado em SP.

domingo, 28 de abril de 2013

VOLTA "BOLETIM DO KAOS" !!



Mande seu apoio nos comentários do BLOG ou por email (suburbanoconvicto@hotmail.com)
Vamos mostrar a mobilização ao nosso possível patrocinador.
Alessandro Buzo
Jornal Boletim do Kaos.


PS: A volta seria 20 mil exemplares por mês.




ABAIXO QUEM APOIA....


É fundamental a existência de um veiculo de comunicação que dê voz a esta parcela do Brasil que cada dia mais conquista novos espaços porém ainda é excluída quando o assunto é comunicação de massa, principalmente através da via impressa, em um momento tão importante como este quando avançamos e conseguimos diversas frentes e tantas possibilidades de representação perante diversos mercados, se faz essescial um jornal que dê vazão com sinceridade e autenticidade, a cultura brasileira contemporânea urbana e rural. Todo meu apoio a esta iniciativa e vida longa a todos.
abraços
Emicida


Boletim do Kaos
Um jornal que fortalece a nossa cultura popular periférica.Discutindo,divulgando e mostrando os talentos da nossa literatura.Sinto falta deste jornal tão importante para o nosso povo.Espero que o Boletim do Caos volte logo ,assim poderemos ter um jornal nosso que fala a nossa língua e que é tão importante pra nós.
Zinho Trindade - Poeta e MC

Prezado Buzo.
Como pesquisadora de Literatura Brasileira na Universidade de Buenos Aires e como gestora cultural de muitos eventos da periferia de São Paulo em Buenos Aires, quero exprimir o meu apoio para a volta do JORNAL BOLETIM DO KAOS. O Jornal é importante pelo seu conteúdo cultural que não é comum encontrar em nenhuma outra publicação cultural da cidade. Assim mesmo, os artistas e intelectuais que assinvam as matérias eram extremamente interessantes. Também acho que é importante considerar a ampla circulação do Boletim.
Apoio então o retorno do JORNAL BOLETIM DO KAOS
Lucía Tennina - Universidade de Buenos Aires
luciatennina@gmail.com

Salve, Buzo.
Claro que apoio o retorno do Boletim do Kaos. Pra todos nós, que acreditamos na cultura como forma de estar na vida e de transformar positivamente a cidade, o BK era uma referência. É fundamental haver mídias que contribuam para informar sobre pontos da cidade que não são totalmente visíveis, e quando o são aparecem como carência ou violência. O BK é importante pra garantir nosso direito à visibilidade do território que habitamos. Longa vida ao Boletim do Kaos.
Ecio Salles
Agitador Cultural no Rio de Janeiro
escritor
ex-secretário de cultura de Nova Iguaçu-RJ



De fundamental importância e muito necessária a volta da publicação e circulação do Jornal Boletim do Kaos. Periódico gratuito, de excelente qualidade, exclusivamente cultural. Variado, oferecendo ao leitor, artigos, agenda, entrevistas, textos de ficção (crônicas, contos), um passeio pelo mundo da música, literatura, cinema, dança e artes plásticas.
Que o retorno seja breve.
Axé.
Walner Danziger
escritor e dramaturgo



Eu apoio e sempre apoiarei a volta do JORNAL BOLETIM DO KAOS, enquanto ele não estiver circulando, porque o propósito deste trabalho é mostrar que a leitura, não é só da elite, não é só didática, é uma prática social, é um processo abrangente dinâmico. E nesse contexto que o jornal boletim do kaos, torna-se importante na cultura local, um importante instrumento para se trabalhar as mais diversas formas de expressão cultural, uma vez que é um meio que dispõe de assuntos, que permitem uma reflexão sobre as diversas situações sociais e culturas, proporcionando ao leitor inúmeras formas de compreender o mundo, a sua visão de vida, é isso aí está dado o recado. BOLETIM DO KAOS JÁ!
Germano Gonçalves - escritor



O Boletim do Kaos é um jornal que propaga a cultura e que merece circular em diversas cidades ao redor do país, pois todos devem saber o que vem sendo feito de bom nas periferias do Brasil.
Markão Baixada
Nova Iguaçu-RJ



O Jornal Boletim do Kaos é um marco deveras importante na recente historia da Literatura e da Cultura Periférica.
Não somente o Jornal em si, como sua estrutura de organização editorial bem como sua distribuição também o são.
Um movimento que em pouco mais de dez anos de história, a partir da datação realizada por pesquisas acadêmicas, de pesquisadores de dentro e fora deste movimento, consegue fazer que uma das maiores megalópoles do mundo, terceira maior da América, que seus moradores em situação de vulnerabilidade social, moradores da periferia tenham voz, e sua voz seja lida e ouvida por jornais, independentes, oficias, telejornais, e ate mesmo através de "Saraus",em bares ou espaços culturais públicos e privados, deve se perpetuar, e não só se perpetuar mas ser expandido.
O Re - lançamento deste veiculo de comunicação se faz extremamente necessário, não só pelo ser carácter social citado acima, mas sobretudo pelo seu carácter cultural, de ampliar a diversidade cultural de São Paulo, norteando que há cultura, positiva e inclusiva em todas as partes desta cidade. Esta cultura contemporânea, por muitas vezes organizada de forma independente do capital publico ou privado, mas que não se exclui da necessidade de investimento de ambos poderes, para a construção de uma sociedade mais justa no ponto de vista cultural, só tem a ganhar com a volta do veiculo de comunicação "Boletim do Kaos".
É extremamente necessária a volta do Jornal Boletim do Kaos, e esta iniciativa tem total apoio do Coletivo Cultural Marginaliaria, residente e atuante na região de São Miguel Paulista, que organiza dois "Saraus" periódicos, onde o mesmo, tendo sua re-edição, circulará nestas duas atividades, bem como em no minimo mais dez pontos de ação cultural desta região.
Andrio Candido
Historiador, ator, escritor, pai e sonhador.
Membro do Coletivo Cultural Marginaliaria
Projeto Marginaliaria



Salve Buzo!!
Todos nós da Família Pensamento Negro que corremos pela cultura sabemos a importância da volta do "Boletim do Kaos", sendo assim esta mais que apoiado não só por nós, mas por todos os nossos seguidores e amigos aqui da Z/S de SP!!
Grupo de Rap: Pensamento Negro de Embu Guaçu-SP


Boletim do kaos fez historia em sp,e devia voltar a ativa, tams de apoio a causa
Dils Santos


Deve Voltar e não parar nunca mais!!!
Lembro que deixei no onibus da quebrada, e vi o motorista e o cobrador debatendo sobre o modelo de diagramação e do conteúdo do jornal...Muito loco mesmo!!! Ei patrocinador, ta´esperando o quê?...Solta a verba que a comunidade necessita de informação de qualidade... Du_Bod...Du_Bodisc e Portal Rapdemia apoiam!
Du_Bod - MC


Eu apoio o Boletim Do Kaos, porque o caos é evitado com informação, é disso que o povo periférico precisa, consumir algo que é de nós pra nós.
abraço e sucesso.
Henrique - Coletivo Barraco das Idéias


JORNAL BOLETIM DO KAOS deve voltar para proporcionar momentos culturais e de enriquecimento intelectual, na linguagem habutual dos moradores da periferia. Tão privados de cultura, uma cultura na linguagem que o mesmo se identifique, tome gosto e amanhã possa se tornar um poeta em potencial.
Djalma Nogueira


A mudança só pode vir do movimento.
Cultura é movimento. Arte é movimento.
Informação é movimento.
BOLETIM DO KAOS coloca em movimento a estática e violenta ordem.
Dou o meu total apoio no retorno do jornal.
Saudações libertárias,
Ary da Silva Franco Neto


Lunna (lunna79@gmail.com)
Oi Buzo, feliz com a noticia do possível retorno do jornal, abaixo meu comentário, Abraços guerreiro.
"Ao saber do termino do jornal Boletim do Kaos ficamos (Frente Nacional de Mulheres no hip Hop) muito decepcionadas, pois no momento não tínhamos formas de ajudar a mante-lo. O jornal chegou em tantos lugares, como forma de ferramenta e incentivo a cultura, lugares distantes onde a cultura se faz pouco presente por falta de opção, temos poucos leitores por não se ter incentivo a leitura e construção de conhecimento. Falo das periferias, onde o jornal quebrou estas regras, invadiu as casas e gratuitamente forneceu um novo olhar para a comunidade, varias vezes usamos o conteúdo do jornal em nossas ações e a esperança de um retorno já trás novas ideias de usufruir deste trabalho que jamais deveria ter encerrado. O jornal formou leitores, o jornal trouxe espectativas, as palavras se transformaram em conhecimento, usando uma linguagem popular simples e metodologia de diagramação que chama a atenção."
Lunna



Nós do Sarau Elo da Corrente, apoiamos e temos certeza da importância que o Jornal Boletim do Kaos (do editor Alessandro Buzo) tem para a cultura de periferia e consequentemente para a cultura brasileira. As periferias do Brasil, em especial de SP, tem vivido um momento muito produtivo artisticamente (literatura, hip hop, música, teatro, etc.) e seu espaço na mídias de grande porte é quase nulo, salvo algumas exceções. Quando se trata de imprensa escrita, aí essa invisibilidade fica mais evidente.
Por isso é fundamental que o Jornal Boletim do Kaos, volte a sua circulação com foco nos artistas e na produção cultural das periferias, pois cumpre um papel importante em termos de registro, divulgação, intercâmbio, comunicação social, livre expressão, e democratização da midia no país.
Apoiado!
Michel Yakini e Raquel Almeida
Coletivo Literário Sarau Elo da Corrente



erica_pecanha@yahoo.com.br
Boletim do Kaos é jornalismo alternativo, da periferia para a periferia.
Único jornal com distribuição gratuita que privilegiou as manifestações populares, urbanas e contemporâneas, além de incentivar o hábito da leitura e o acesso à informação em regiões mais pobres.
Boa sorte, Buzo!
Érica Peçanha, doutora em Antropologia pela USP, autora de Vozes marginais na literatura.



nego.panda@hotmail.com
Olá Alessandro Buzo
Como articulador cultural e como leitor eu, apoio a volta do Jornal Boletim do Kaos e digo que ele é de suma importância ,
para a cultura popular e periférica ,pois ajuda a divulgar o trabalho de artistas que por muitas vezes deixam de ser conhecidos
por falta oportunidade e nós consumidores de cultura perdemos a oportunidade de conhecer trabalhos significativos pelo mesmo motivo .Gostaria de deixar aqui o meu agradecimento por mais essa iniciativa e me coloco a disposição para fazer a divulgação do Jornal a nível baixada santista caso necessite .
Abraço
Nego Panda (Sarau das Ostras )



A volta do Boletim do Kaos é essencial como meio de comunicação da periferia, das comunidades e da arte produzida do povo para o povo. O jornal, de grande abrangência e distribuição gratuita é extremamente importante, já que leva informação de qualidade, bem produzida e bem feita.
Em tempos em que tudo é toutch screen, móbile e reduzido, ter em mãos um boletim jornalístico sobre arte, música, entretenimento e cultura, a fim de estimular o pensamento crítico e as boas ações é um investimento e tanto no futuro do país.
Como jornalista e como cidadã, gostaria muito de voltar a ver e ter o Boletim do Kaos em mãos, até porque, mesmo morando fora de São Paulo, tinha acesso e podia distribuí-lo em eventos culturais.
Jéssica Balbino (jessicabalbino.jornalista@gmail.com) – Poços de Calda (MG)


(ricardagoldoni@gmail.com)
Eu apoio o retorno do Boletim do Kaos!
Ricarda Goldoni


Salve, eu tenho desde a época que era só o fanzine
e quero sim a volta do Boletim do Kaos, junto com dezenas de pessoas aqui do Capão Redondo.
Ferréz
Escritor



Se é cultura é fundamental! Apoio pois carecemos muito de autênticas e puras manifestações culturais!
Abraço
Daniel Melloni – DGT Filmes


(originalbonga@hotmail.com)
Fmz Buzo , ansioso pela volta.
Bonga MAC – Graffiteiro


dimenor93@hotmail.com
Boletim do Kaos foi um um ótimo meio de comunicação independente e que conseguiu atingir metas informativas a nível nacional,fui um dos colaboradores deste excelente meio alternativo de informação obtivemos conhecimentos culturais educacionais e de resistência política social em uma grande corrente de luta de massa através dele
hoje sou poeta rapper sociólogo e conselheiro tutelar e muito devo as informações prestadas pelo Kaos
Rodrigo de oliveira
Sociólogo e conselheiro tutelar
ou Dimenor
poeta e rapper








quinta-feira, 25 de abril de 2013

Poesia de NEGO E no livro: Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2

Denuncio como Barbosa, tenho um sonho: sou Luther King
Agrido como Malcom se preciso Ali no ringue
Vou pro exílio, sou Mandela, como Zumbi supero o flagelo
Cada barraco de favela eu quero ver virar um castelo
“Cê ja vira suspeito se é preto e sai de casa
Tem sempre que dar um jeito, senão pro trampo atrasa
"Tinha que ser..." (Shh…) como seria se não fosse?
Quero comprar e no farol só posso vender o doce
Eles são como caçadores querendo matar Panteras
A nossa hora chega, espera, mudança de atmosferas
Enquanto dizem que vivemos em novas eras
Somos Quimeras de Quilombos e agimos como feras
Pretos reinam com pentes finos, pretas com pentes quentes
Favela queima e eles teimam em dizer que foi acidente
Nossa primavera não é boa, cê quer saber o porquê?
Temos mais flores nas coroas e muito menos em bouquets




NEGO E

Erick Costa ou Nego E como é conhecido no cenário do RAP, tem 21 anos e vive no mundo do Hip Hop desde os 12.

Em 2008, já com 16 anos, conhecendo um pouco mais da cultura de rua, começou a levar a sério o fato de ter talento para escrever e assimilar facilmente as palavras. Assim, pesquisou sobre o mundo do RAP a fundo, a cena existente, os estilos predominantes e o que precisava ser feito para mudar e aperfeiçoar-se cada vez mais, mas somente em 2010 que deu inicio em seus trabalhos profissionais.
Desde então, lançou os EPs “Egresso” (2010), “Doze Do Seis” (2011) e a Mixtape “Os Planos” (2012), fortificando seus laços com a cultura, também lançou vídeoclipes, singles e remixes de seus trabalhos, com participações de Xis, Max B.O., Kamau, Rincon Sapiência, entre outros.
O promissor e jovem MC busca constante evolução, por isso prevê para 2013 o lançamento de novos vídeoclipes e outro EP, em fase de elaboração.

Poesia de Camila Freitas no livro: Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2


Hoje meus olhos estão marejados de lágrimas
Pelo cinza da cidade fria
Pelo solitário que cruza meu caminho
Pelo riso apagado no rosto do palhaço

Hoje meus olhos estão marejados de lágrimas
Pelo garoto morto pela polícia
Pela menina perdida na esquina
Pela escola que não ensina

Hoje meus olhos estão marejados de lágrimas
Pelos índios vendidos
Pelos trabalhadores escravizados
Pelos negros marginalizados

Hoje meus olhos estão marejados de lágrimas
Mas meu coração insiste em ser contradição
Inundado de Amor no meio desta multidão
Como uma flor que nasceu fora da estação.


Camila Freitas, é professora na rede estadual de ensino, poetisa no blog mirazé e integrante do coletivo Tenda Literária, que circula por toda a cidade e grande são paulo, migrando para espaços periféricos onde a literatura grita e chama.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Literatura (é) a Cura.

Acabei de (RE)LER o livro que organizei, a primeira leitura foi conforme os textos dos autores iam chegando, agora em formato livro, li: Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2, org.Alessandro Buzo - 58 autores (Edições Suburbano Convicto - 112 paginas), pra ter a sensação que o leitor vai ter.
Gostei demais do resultado (sou suspeito pra falar), mas o livro flue bem, boas poesias de grandes poetas e mc´s.
Leia e tire sua propria conclusão.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Poesia de Zinho Trindade no livro: Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2

Fantasia


Fique com sua fantasia
Eu não desvio o olhar
Coração de guerreiro
Já nasci pra lutar


Querem Capitais
Se afogue no seu trono
Nunca comprei felicidade
To correndo e buscando


Cantando para a vida
fazendo minha poesia
Vejo os tio no buteco
Os radim de pilha


Inspiração


Sol du meio dia na quebrada
A rapa toda reunida Tomando uma gelada


Comprimenta os amigos
Pega um churrasquinho no prato
Da um salve na tia
Agradece o gato


Brincadeira

A toda hora a a todo instante
Familia e amigos valem mais que diamantes

To sempre lapidando
Como a musica sai
Tudo sempre bem singelo
Que é assim que se faz

Aqui as lagrimas são de verdade
Não precisa pagar
Os verdadeiros tão com nós
E os que são nunca vão ta

A guerra é disfarçada em uma dose de paz
O sangue em suas mãos já não sai mais
Ta tudo manchado de ódio e dor

Mais eu calejo a minha vida é com muito amor


Sem sofrimento
Minha revolução é armada
Engatilho minha caneta e aponto na sua farda
Suas medalhas são falsas,assim como seu olhar

O meu fura é minha rima e seu colete nunca vai segurar


A Companhado com Deus ,nunca ando sozinho
Só eu sei minha história e vou abrindo caminhos
desbravando a trilha e arrumando os trilhos
Entre vários sentimentos ,sem perder o brilho


Sem ilusão ,sem perder a ternura
Diferente do robo que pilota a viatura
Eu ja mergulhei na maldade

me embriaguei na loucura
Mais graças ao rap que hoje tenho postura


Em um acento bem bacana dentro do congresso
A Ordem é dada a favor do progresso
Seu coturno ,sua gravata ,terno ou bracelete
Massacra a massa de dentro de um gabinete


A semente é jogada,porém sem água no chão
O sistema deu as costas ,mais não da a mão
Se o futuro é nós ,então cade o pão
Só nos deram o Circo ,sem nenhuma opção


Precisamos de diplomas ao invés de presídios
ouvir uma boa música nos lugar dos tiros
Aposentando o calibre e erguendo os livros
Assim sempre manteremos nossos mitos vivos

Não Fique se iludindo por um simples momento
O baguio é louco ,tem que ta atento
O ponteiro do relógio um dia vai parar
Mais nóis damos a corda e voltamos a andar



Zinho Trindade é Poeta ,Ator e MC Free Style.

Herdou a tradição familiar na pesquisa e divulgação da cultura popular afrobrasileira.
Autor do Livro de poesias "Tarja Preta" edições Maloqueiristas,e participou da Coletânea "Pelas Periferias Vol 4" Curadoria Alessandro Buzo 2010,Livro "Hip Hop : Dentro do Movimento" Editora Aeroplano curadoria de Alessandro Buzo,Coletânea Sarau do Burro ,edições Maloqueiristas ,Org Daniel Minchoni 2011,Livro conjunto " {Em}Goma Dos pés a cabeça ,os quintais que sou " Editora Capulanas 2011,Poesia Favela In livro -Coletânea -Org Adriana Facina,Mirna Aragão e Vitor H.Pereira -Editora Encantarte-ECCO 2012,Participou do livro " Antologia de uma noite de primavera " Editora Kazuá. 2012.Atualmente vem trabalhando com a sua banda "Zinho Trindade " e com seu programa "Hip Hop Cozinha" .
www.zinhotrindade.blogspot.com


Poesia de Carlos Galdino no livro: Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2

Acordar


A
a cor
a cor dá
a corda
acorda
acordar

dar corda
no dia
poesia...


Carlos Galdino
poeta,produtor cultural e Radialista
amante da força da poesia e seus movimentos!

Poesia de Jaime Matos no livro: Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2

Maria Pimenta
Diz á lenda da cidade
Da praça que eu visitava.
Que uma linda Negra com Índio naquele lugar se amava,
E o suor deste amor, no meio do pé de pimenta
Pela terra se misturava
O derradeiro encontro moço Índio não apareceu
A Negra chorou um bocado, no tal pé de pimenta
Que o coitado pé morreu.
Choveu, choveu a noite inteira
A semente seca, a enxurrada levou
Pelo vale, pelo rio e pra toda cidade
E hoje Maria Pimenteira dá sabor ao coração
Maria Pimenta
Negra Malagueta
Dedo de moça no coração
Lábios carnudos vermelhos
No peito uma queimação
Quem tempera com amor e pimenta
Colhe o fogo da felicidade
Quem não tempera com amor, sem gosto
Vai arder numa saudade




Jaime Matos.


Nascido em Santo Amaro, na região do Capão Redondo, é músico percussionista,
compositor e letrista, também conhecido em algumas composições musicais como
Jaime Borba Gato. Formado em Gestão de Marketing, trabalha como corretor de
Imóveis e Representante comercial. Diretor de arte, personal dance, colaborador cultural e aprendiz de poeta.

Poesia de Rafael Marques no livro: Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2

Noite Iluminada



Ela apaga a vergonha
Me afaga e me crava
como uma adaga
me leva ao céu
provo do doce mel
perco a língua entre
seus caminhos
até chegar a fonte
de fronte
busco o horizonte
você felinamente
me abraça
com teus seios
me amordaça
de tanto prazer
explodindo em gozo
não permite que eu faça
Assim, nesta pirraça
Minha boca compassa
Encontra o seu caminho
É visível esse libido
Foi te encontrando
Que me achei perdido
Você nem disfarça
Vocifera sua fera
Vou desenhando amor
Por toda ela
Como uma poesia
Como! uma poesia
Ah, como é doce teu mel
embriaguei-me
viciei-me
sou cativo de nossos desejos
sigo entre os espaços
sigo entre as estrelas
Ao atingir seu universo
me disperso
em milhares de cacos
me remonto em seus braços
bem assim
Meu infinito
é você em mim.



Rafael Marques Silva

Nascido em Osasco-SP, tendo como quebrada o 100Terra (meu orgulho). Sobreviveu à quebrada em seus piores anos, nunca deixou ser arrastado. Quase viu sua família acabar num cachimbo, anos de luta e graças a Deus, ao amor familiar, ao Rap e a literatura marginal sobreviveu novamente. Por teimosia insiste em dizer que é poeta e DJ, carrega profunda admiração por Alessandro Buzo e James Brown (que dupla!), também é bacharel (sem deixar de ser bamba) em Administração de Empresas, tem no momento 23 anos e agradece a Deus pelos pais que tem e ama, ciente de que sem eles não seria nada, Jaime e Claudete.

Poesia de Thiago Peixoto no livro: Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2

Sem palavras



De que vale a intensidade

No peso dessas palavras

Se não descrevo a metade

Da felicidade em mim alojada.



Poesias inteligentes

Se quer ousariam nascer

Sob pena de esmorecer o momento

Em que no sujeito prestes a anoitecer

A alegria inunda o peito

Fazendo o coração não caber.





Thiago Peixoto é poeta, cidadão, empresário, repórter, assessor de imprensa, blogueiro, músico, comunicador, violeiro, skatista e empregada doméstica, mais um na multidão.

Poesia do Mano Ril no livro: Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2

Sirenes


Sirenes...
Que Tocam e Não se Tocam Que me incomodam...
Sirenes que compõem a trilha Das Ruas e Calçadas Frias
Sirenes que Abrem Caminhos Nas artérias da Metrópole Que Se Move E Não se Comove Com o Fogo Queimando A Riqueza do Pobre
Sirenes... Que apavoram os ouvidos Mas Não Abrem Os Olhos de certos Indivíduos
Sirenes... Que Tocam e Não se Tocam Que me incomodam...
Sirenes... Que quando tocam vem a frase no Pensamento “Tem alguém sofrendo”
Pra Salvar o Acidentado
Pra prender o Marginalizado
Pra esfriar o que está sendo Queimado
Pra anunciar explosões e chegada de tornado
Sirenes... Que Tocam e Não se Tocam Que me incomodam...
Sirenes que aceleram a pulsação Que abre caminho rumo ao Penumbre
Mas ai. Nada mais triste que sirenes fúnebres
Sirenes... Que Tocam e Não se Tocam Que me incomodam...



ManoRil (Pensamento Negro)

Mauricio Santos tem 27 anos, nascido em São Paulo, compositor e MC do Grupo de Rap de Embu Guaçu – SP o Pensamento Negro, no cenário do Rap Nacional atende pelo vulgo de ManoRil e está no grupo desde 2000.
Desenvolve em Embu Guaçu junto com os integrantes do Pensamento Negro o “Sarau Pensamento” que acontece nas escolas do município uma vez por mês.

Poesia de Carolina Peixoto no livro: Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2

Disperso



Era apenas para olhar
Porém, me permito um tanto mais
Então me distraio com o branco do sorriso que ele tem
e viajo na cor de sua pele preta
Fico decorando cada linha de seu corpo
ainda que por de trás da roupa esconda
o não saber que me seduz
Observo seus gestos extravasados,
Disperso-me te ouvindo
Imagino ele comigo,
sozinho
vou até o nosso futuro,
Chego longe num segundo
Desenho cada detalhe de nós dois
Faço planos
invento promessas
Volto pra mim, lhe dou um sorriso
- O que, é comigo?
Era apenas pra olhar
mas ele mexe comigo

Poesia de Emerson Alcalde no livro: Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2

TERRAS



Saiu
obrigada de sua
terra

Nesta viveu
Fugiu
brigada daquela
terra

Pra cá Eu
Nesta área
que quase
não há mais terreno

Seco o chão
Mas não a
umidez dessa paisagem

Retiro pedras do cascalho
Retiro nas fronteiras

Minha terra tem
palmeiras
já teve palmares
restou
po
eiras
agora
só vejo minha terra
quando me dirijo
ao mar
e ouço
tiros
e o
silêncio
do sabiá





EMERSON ALCALDE é ator e poeta. Apresenta o Slam da Guilhermina (Batalha de Poesias). Publicou os livros: (A) MASSA poesias e dramaturgias e O Boenco do Marcinho (um peça de teatro que apresenta desde 2009 pelas periferias). www.emersonalcalde.blogspot.com.br

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Poesia de Todyone no livro: Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2

O trem nosso de cada dia.



Preparado pra guerra é assim que me sinto!
com o pé depois da faixa amarela quando percebo que o trem vem vindo
com um instinto predador que agora em mim desperta... Passo a mochila pra frente pois estou sempre alerta!
discreta, se achava esperta,vacilou não tem conversa acaba com a mochila aberta...
Sai da reta estou com pressa o trem encosta eu não dou brecha então se fecha cú de flexa se não o soco vai bem na sua testa
a porta então se abre e logo mostro que não sou mané, vou distribuindo soco! chute! ponta pé seja em homem ou mulher
neste trem eu não vou ficar de pé e meu celular tocando o som do mc keké... rá
qualé que é?
de uma coisa é certa e disto não estou errado!
a batalha do trem só vence quem vai sentado.




Todyone

Nasceu, João Paulo Souza de Alencar, tem 29 anos.
Praticante da cultura hip hop desde os 14 anos.
Pai do Pietro de 11 meses.
Artista Plastico, Graffiteiro, bboy, Mc e Poeta
idealizador do evento Graffizfesta - Amigos da Tinta e Sarau da quebrada em Guaianazes
Com o grupo estilo de rua ganhou o Prêmio Hutus em 2007 como Destaque do Break, Prêmio organizado pela CUFA.
Educador Social, usa o hip hop como ferramenta de sociabilização e conhecimento.

Poesia de Cafuris no livro: Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2


C.A.F.U.R.I.S



Cafuris canta coisa certa com coração
Consegue com certa canseira criar canção
Cismado com crack, cigarro, cachaça cabrera
Correndo com cara conceituado, com certeza
Antes à anistia antipáticos armadilha
Antes a agonia AUDÁCIA agora artilharia
Alguns andam aí assustados alucinados
Apareceu agora alguém andando armado
Fato falho? Frequentemente flagrado
Fazendo fama foi facilmente filmado... ficou fácil
Famoso fitado foi fofocado
Ficou furioso facínora foi flagelado
Um único uivo último ultramar
Urgiu unção união única
Um ucraniano umbandista ultrapassou
Um utilitário uruguaio usurpado
Rádiopatrulha rastreou rapidamente
Reforço raiou ridículo retardamente
Rapaz racional ralou revoltado
Ratos retardados repreendem revolucionários
Inspeção imcumbida insípeda insistida
Investigando impreguina insulta incrimina
Ímpio impiedoso impaciente implacável
Indivíduo inútil infame inaceitável
Sem sentimento sem senso sem simpatia sarnento
Sempre servindo sargento sempre sábado sangrento
Sistema soberano? Só sofisma sobrando
Solicitamos sáude socorro sempre só sonho...



Cafuris é Integrante do grupo de Rap Q.I. Alforria desde 2005, integrante do Coletivo de mc´s AUDÁCIA , morador da Zona Leste de São Paulo, ferquentador de saraus, entre eles o Sarau Suburbano.

Poesia de Alessandro Buzo no Livro: POETAS DO SARAU SUBURBANO - VOL 2

Assim que é........

Acredite sempre.
Vá atrás de progresso.
Dinheiro, consequência.
Foco tem que ser realizar.

Nas ruas o veredito virá.
Da favela a elite.
Reconhecimento.

Papo reto não faz curva.
Sempre foi assim pra mim.
Não me vendo porque ninguém poderia pagar.
Não importa onde vá.
Saiba chegar.

Humildade é a chave do sucesso.
Disposição é preciso.
Sem trabalho, sem conquista.

Quando você é verdadeiro.
Não muda o discurso.
Fala giria não, dialeto.
Minha poesia é de concreto.

Mais forte que aço.
Sempre que prometo eu faço.
Sem me preocupar com o que vão dizer.
Zum Zum Zum... cheira mal.
Fale bem, fale mal, mas fale de mim.

Eu sou assim.
Favelado com livro na mão, a contra indicação.
Pensavam que não sabiamos nem ler....
E aqui temos a prova que estava errado quem duvidou.
Mas um livro.

Eu sou do tamanho do meu sonho.



Alessandro Buzo
Paulistano, 40 anos, a 15 casado com Marilda Borges, pai do Evandro Borges de 13 anos.
Autor de 10 livros, organizador de 7 coletêneas de literatura marginal.
Diretor do filme "Profissão MC" (ficção, 52 min. 2009)
Realiza os eventos Sarau Suburbano e Favela Toma Conta.
Na TV ficou 3 anos no Manos e Minas da TV Cultura e desde setembro de 2011 apresenta o quadro SP CULTURA no SPTV 1a edição da Rede Globo.
www.buzo10.blogspot.com
@Alessandrobuzo

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Literatura (é) a Cura.

Acabei de ler "Como a água do rio" do escritor Sacolinha.
Livro narra a trajetória do Sacolinha, de Itaquera pra Suzano, da lotação pra cultura e os livros.
Sai pela Coleção Tramas Urbanas da Aeroplano Editora
#INDICO

Grupo "Hó Mon Tchain" da zona leste autografa CD no Sarau Suburbano desta terça (02 de Abril de 2013)

Das 19h30 às 22h


* TRAGA SUA POESIA E SUA RIMA



Entrada gratís
> Cerveja gelada em nossa bomboniere


LANÇAMENTO DO CD Ascesão do grupo: Hó Mon Tchain



Nome do grupo: Hó Mon Tchain
Integrantes: Almitex, Diham, Falcon MC, Mud, Jg.Mano, Plano B
Nome do CD: Ascensão



Local: Livraria Suburbano Convicto
Rua 13 de Maio, 70 - 2o andar
Bixiga
11 2569-9151
suburbanoconvicto@hotmail.com

www.sarausuburbano.blogspot.com